Chacras Planetários, Pirâmides Astrais, Portais, Teoria da Terra Oca ( Parte II de III)

Chacras Planetários, Pirâmides Astrais, Portais, Teoria da Terra Oca ( Parte II de III)

 

Os chacras são como rodas que giram, são centros de força.

Um centro de força é equivalente ao centro energético de uma egrégora, ou seja, o ponto central onde várias mentes canalizam sua energia mental criando uma espécie de usina ou reator energético. Em último caso, muitas das pirâmides construídas exerceram esse papel no passado, quando dispunham de sacerdotes detentores desse conhecimento de manipulação de energia mental , atrelado a energia vinda através do astral (fluido universal e também matéria astral) e também o próprio ectoplasma presente no duplo etérico dos encarnados que participavam dessa atividade. Essa atuação, somando a egrégora (centro de força criado) ao chacra planetário já existente (centro de força planetário) transformava as pirâmides em verdadeiros portais, sendo que essa técnica foi usada inclusive em outros pontos da malha magnética terrestre, criando assim portais onde não existiam pirâmides.
 
O grande problema é que existem milhares de pirâmides astrais ativas no planeta e sob o comando de magos negros, todas estas, nestes casos, sintonizadas com o grande reator negativo, o Sol Negro.

São em sua maioria estruturas maiores do que as pirâmides físicas e funcionam como mini reatores, antenas que captam fluxos energéticos de encarnados em desequilíbrio, fluxos esses que trazem junto de si certas cotas de ectoplasma. O maior problema dessas “pirâmides portais” é que utilizam essa energia absorvida para construção de cidades astrais umbralinas e diversos artefatos tecnológicos para potencializar processos obsessivos.
 
Isso dá uma dimensão da grande guerra que os guardiões da luz travam no astral, não apenas na destruição de bases astrais como também no enfraquecimento e desativação temporária das pirâmides astrais.
 
Como elas serão úteis no processo de desenvolvimento mental dos futuros encarnados da Terra após o fim do exílio planetário, assim como no processo de gradativa sutilização da matéria da terceira dimensão, elas não são destruídas por essas equipes de guardiões a serviço dos desígnios do Cristo Planetário, do Grande Conselho e do seu governador, Jesus. São apenas seladas e em alguns casos reprogramadas, com o objetivo de servir de novas bases aos guardiões da luz, quando existe essa disponibilidade por partes das equipes da luz, em contar com número específico e qualificado de guardiões para determinada região. Um desses casos de selamento ocorre exatamente na estrutura astral da Esfinge, que apesar de não ser uma pirâmide, está intimamente ligada a várias.
 
Pude ver a alguns anos atrás, em desdobramento consciente durante o sono, algumas dessas estruturas, apesar de já ter sido informado que existem milhares dessas pirâmides astrais no planeta. Existem 4 estruturas muito impressionantes no Egito.
 
Uma delas exibe nos dias de hoje a formação astral que possuía antes de ser destruída no plano físico por uma imensa tsunami que invadiu o planalto de Gizé as margens do rio Nilo quando a Atlântida afundou.
 
Essa estrutura foi a fonte de inspiração para a construção do Partenon grego, ficava próxima das três pirâmides e da Esfinge, que originalmente era um leão inteiro. A diferença é que essa estrutura, chamada na época pelos egípcios de O Palácio dos Três Leões, era muito maior. Abaixo temos uma foto do Partenon pra ter uma idéia de como era o palácio egípcio 
 
Partenon grego original, Parthenon, palácio dos 3 leões
 
 
Na entrada pude ver em desdobramento três leões (o que explica em parte o nome do palácio) feitos em ouro maciço, na mesma posição da esfinge, sobre uma base retangular, cada um, feita em algo que parecia o ônix. A escadaria até o topo era imensa e ao chegar lá pude ver o salão central, que era usado para cerimônias e alguns rituais.
 
Em sua forma era um grande círculo, com alguns desenhos que me pareceram ser hieróglifos na parede, havia muitos detalhes na parede e no chão, feitos em ouro, sendo que o teto do salão não era fechado, tinha um grande vão circular, de aproximadamente dois metros que permitia a entrada dos raios solares e lunares, usados em cerimônias distintas.
 
Quando estive lá pude ver alguns espíritos, alguns na forma de mulheres vestindo tradicionais roupas de sacerdotisas. Havia também um homem com roupas simples, aparentando ser alguém ligado a guarda do “chefe do local”, tal como seriam os chefes da guarda real dos faraós egípcios.
 
Ele andava com um tigre imponente do lado, uma clara tentativa de impor respeito. Após analisar aquele local, pude ver as três pirâmides astrais que estavam (e ainda hoje estão) exatamente no local onde estão as três pirâmides físicas construídas no planalto de Gizé.
 
Tinham pelo menos de duas a três vezes a altura das pirâmides físicas, uma era de um rosa bem claro, a outra de um verde próximo a cor do abacate e outra de um dourado meio claro, quase branco.
 
Essas 4 estruturas astrais (as 3 pirâmides e o palácio) existem até hoje, sendo que o palácio está sob o controle dos guardiões e serve como um espécie de quartel general na região, que fiscaliza a atividade das 3 pirâmides que estão sob o controle de magos negros. A principal função desse QG (quartel general) é evitar que o conhecimento iniciático que esta escondido abaixo do salão principal da entrada subterrânea da Esfinge seja descoberto, conhecimento que deve ser entregue a humanidade somente após o fim do exílio planetário, bem como impedir que magos negros e milícias umbralinas adentrem o recinto ali existente no astral, o que obviamente gera constantes conflitos entre o QG e as milícias que controlam as 3 pirâmides no astral, tendo como campo de batalha a Esfinge.
 
Inclusive na cultura asiática (e vale lembrar que apesar de ser uma nação transcontinental, a maior parte do território egípcio está na Ásia) o leão é conhecido como animal guardião, o que explica a função da Esfinge: guardiã do sagrado conhecimento atlante. Isso também explica de forma mais ampla o que Jesus quis dizer quando se autointitulou o leão da tribo de Judá, uma clara definição do que ele representava: guardião do conhecimento espiritual que obteve em sua iniciação na Grande Pirâmide.
 
Pirâmide astral negativa, energia astral nas piramides
  
 
Existem ainda outros QGs espalhados pela região, como nos locais onde existiam os templos essênios (Qunran, lago Mareotis, Monte Carmelo) e também na cidade de Akhetaton (Amarna) , controlados por guardiões. Se não fosse essa presença ostensiva, certamente um conflito atômico já teria ocorrido entre árabes e israelenses e justamente por isso a Alta Espiritualidade procurou cercar esses locais com a maior proteção possível. Ninguém pisa nesses locais, seja no astral ou no físico, sem ser devidamente auscultado pelos guardiões.
 
É preciso ter muito cuidado com a questão dos portais. Quase todo dia “surge” um novo portal, seja porque vai passar um cometa em tal dia por tal planeta, seja porque tal data está chegando. Muito cuidado pra onde cada um for sintonizar os seus pensamentos, mesmo o motivo sendo aparentemente bom, se caso não possua espíritos bons por detrás dos organizadores dessas canalizações de energia, toda a energia enviada para o determinado foco, se controlado por mãos erradas, vai ser utilizada de forma errada certamente.
 
Cuidado redobrado, ou melhor, triplicado, ocorreu por parte dos guardiões com as canalizações de energia ocorridas em 11-11-11, pois infelizmente muitas pessoas com desejos mundanos quiseram e tentaram puxar pra si através de canalizações conjuntas de outras pessoas uma energia tremenda que fluiu pelo mundo ocidental que adota o calendário com essa combinação numérica especial. A boa notícia, pelo menos em boa parte do sul e sudeste do Brasil que adota o horário de Brasília, é que na verdade o horário das 11 horas do dia 11/11/11 ocorreu no meio dia, pois o horário de verão é um horário artificial, onde a hora é artificialmente alterada. 

Dessa forma, a grande maioria das pessoas nessas regiões brasileiras que tentou se conectar ao auge energético do portal as 11 horas não conseguiu se conectar com o pico de energia pois realizaram a conexão no horário real de 10 horas.

Poucas pessoas que realmente se "antenaram" pra esse fato, perceberam que no sul e no sudeste o pico de energia foi meio dia, no horário de verão equivalente ao horário real de 11 da manhã.

Dessa forma somente quem estava realmente bem inspirado pôde perceber essa sutil e providencial mudança feita pelo horário de verão  e conseguiu se conectar ao meio dia do dia 11/11/11 equivalente ao horário real de 11 horas da manhã do dia 11/11/11 ao ápice energético que se iniciou nessa hora e durou por mais 11 minutos e 11 segundos depois. 


Foi exatamente nesse horário que o primeiro texto dessa trilogia foi postado, para iniciar junto com o apogeu energético desse portal o início de uma série de informações inéditas sobre a realidade do plano espiritual e do atual momento da humanidade.


 


O ideal nas canalizações é não mentalizar símbolo algum, a não ser o símbolo pessoal ou então mentalizar um local onde realmente se faça um trabalho verdadeiramente caridoso sem interesses financeiros, jamais se deve mentalizar qualquer símbolo ou local que não se tenha pleno conhecimento de que ele está ligado a um verdadeiro trabalho de caridade ao próximo.
 
Dito isso, tem mais duas informações muito interessantes sobre as pirâmides astrais. A primeira delas é que muito poucas pessoas sabem, mas o local onde mais existem pirâmides no planeta é a China, pirâmides físicas e astrais. Se somarmos todas as pirâmides do mundo fora a China, ainda assim teremos menos pirâmides do que existe na China. Nos dois vídeos abaixo é possível observar através de filmagens e do Google Earth       
 
 
 
 

 


Read more: http://profeciasoapiceem2036.blogspot.com/2011/11/chacras-planetarios-piramides-astrais_13.html#ixzz2Kiyo53Kq