Do Senhor Himalaia para a "Ponte para a Liberdade" publicado em 1959:

Do Senhor Himalaia para a "Ponte para a Liberdade" publicado em 1959:
 
"Muitos membros do sacerdócio colocaram-se em pequenos grupos, estrategicamente localizados em diversas áreas, e rezaram e cantaram à medida que afundavam. A idéia, por trás dessa ação estóica, foi a de que cada experiência horrível deixa uma cicatriz traumática, muito profunda, no corpo etérico e na memória celular das pessoas, o que leva várias encarnações para ser sanada. Por meio do sacrifício dos sacerdotes, que escolheram ficar juntos, em grupos, cantando até o fim, muito medo foi mitigado, e um certo nível de harmonia foi mantido. Desta forma, o dano e o trauma, para as almas dos que pereceram, foram enormemente diminuídos. Foi dito que os sacerdotes, juntamente com os músicos, cantaram e rezaram até que as ondas e a água houvessem subido até o nível das suas bocas. Durante a noite, enquanto as massas dormiam, sob um céu azul estrelado, tudo terminou, a amada Pátria foi submersa sob as ondas do Oceano Pacífico. Nenhum dos sacerdotes havia deixado seu posto e nenhum tinha evidenciado nenhum temor. Lemúria afundou com dignidade!"
telo_terra_oca
Ao mesmo tempo em que a Lemúria estava afundando, a Atlântida começou a tremer e perder partes de suas terras, fato que continuou durante mais 200 anos, até à fase final, onde o resto do continente submergiu completamente. Por 2.000 anos, após as catástrofes Lemuriana e Atlante, o planeta ainda estava tremendo. A perda de duas massas continentais em tão pouco tempo serve para alertar a humanidade atual sobre os efeitos nefastos de uma guerra termonuclear no planeta Terra, que levou milhares de anos para se tornar novamente hospitaleiro. Por centenas de anos, após as submersões continentais, o dia se tornou escuro e um inverno nuclear sem fim se fez presente, uma vez que os raios solares eram bloqueados. O alimento era escasso e uma grande percentagem dos animais e plantas morreram nessas épocas.
A razão de haverem tão poucas provas da existência dessas duas grande civilizações é que as cidades, que não afundaram, foram reduzidas a pedregulhos pelos terremotos subsequentes ou pelas enormes ondas que, muitas das vezes, varriam tudo em seu caminho, por uma distância de até 1600 kilômetros, continente adentro. A condição humana, das civilizações que sobreviveram aos cataclismos, se tornou tão dura e difícil, em razão constante atividade da terra, que se deteriorou muito rapidamente. Para aqueles que sobreviveram à todas as calamidades, a fome, a pobreza e a doença foram o seu legado.
A altura original da humanidade neste planeta era de aproximadamente 3,6 metros de altura. Os hiperbóreos (lemurianos) mediam e ainda medem 3,6 metros de altura e nenhum deles vive na superfície no momento. Até a época do afundamento da Lemúria, suas alturas foram reduzidas para 2,3 metros de altura. Houve uma redução maior ainda da altura para os habitantes da superfície do planeta, que diminuiram para 1,85 metros ou menos. À medida que nossa civilização evolui, a nossa altura original será restaurada. As pessoas na superfície do planeta são muito mais altas do que eram seus ascendentes, há apenas 100 anos atrás.
Em Telos, existem duas formas de governo. O rei e rainha de Telos, Ra e Rana Mu, Mestres Ascensos que também são almas gêmeas, formam um aspecto do governo de Telos. Eles são os governantes supremos de Telos.
A segunda forma de governo é formada pelo Conselho local, chamado de Conselho Lemuriano da Luz de Telos, composto por 12 Mestres ascensos, 6 homens e 6 mulheres, equilibrando o divino masculino com o divino feminino. Um décimo terceiro membro, o Sumo Sacerdote de Telos, neste momento, o Mestre Adama, preside o Conselho, e toma a decisão final, quando há uma votação, tendo peso maior do que as decisões tomadas pelo Conselho regular (a dos 12 membros).
Membros do conselho são selecionados de acordo com o nível de realização espiritual que já alcançaram, qualidades interiores, a maturidade e a área de especialização. Quando um Membro do Conselho decide mudar de posto, a vaga é dada a conhecer ao povo e aqueles que desejam se candidatar podem se pronunciar. Todos os pedidos são cuidadosamente estudados pelo Conselho, pelos Membros do sacerdócio, e pelos Rei e Rainha de Telos. O Rei e a Rainha têm a palavra final sobre quem é escolhido, entre os candidatos, para compor o conselho.
Telos é uma cidade bastante grande com, aproximadamente, um milhão e meio de habitantes. A cidade está dividida em vários setores que partilham o mesmo governo local. O complexo urbano é dividido em 5 níveis, conforme a sua profundidade, abrangendo vários quilômetros quadrados abaixo Monte Shasta.
O primeiro nível: grande percentagem da população vive abaixo da cúpula, no primeiro nível. Esta também é a parte onde os edifícios administrativos e públicos e vários templos estão situados. No centro deste nível se situa o templo principal, dedicado ao sacerdócio de Melquisedeque, chamado de Templo de Mara, uma estrutura em forma de pirâmide capaz de abrigar 10.000 pessoas. A pirâmide é branca, feito de uma rocha denominada "pedra viva", que nos foi doada pelos Seres de Vênus.
O segundo nível: esse é o lugar onde toda a produção e fabricação dos produtos básicos, para a população da cidade, tem lugar. É também a área de várias escolas para as crianças e adultos. Muitos habitantes de Telos tem suas moradas edificadas nesse nível.
O terceiro nível: é totalmente consagrado aos jardins hidropônicos, onde toda a a oferta de alimentos é cultivada em cerca de 7 hectares de terra, produzindo uma dieta que é muito interessante e divertida, e que oferece muita variedade. Os métodos de jardinagem são tão eficazes, que sete hectares de terra é tudo o que precisam para fazer crescer, abundantemente, uma variedade muito grande de alimentos, capaz de dotar um milhão e meio de habitantes com corpos fortes, saudáveis e que não envelhecem.
Os jardins hidropônicos são capazes de produzir culturas em uma base auto-sustentável. Pode-se cultivar alimentos muito mais rapidamente, usando tecnologia hidropônica avançada, utilizando pouco solo e muita água, sem o uso de produtos químicos, que empobrecem o solo. A comida é totalmente orgânica, detentora da mais alta vibração, pois além de os jardineiros adicionarem minerais orgânicos na água, para as plantas, seus cultivos também são reforçados e vivificados pela Grande Luz, a energia e a vibração positiva de amor de Telos. Essa é a magia da consciência da quinta dimensão, que os humanos da superfície vão descobrir logo, mais provavelmente nessa década ou no início da próxima.
O quarto nível: contém alguns jardins hidropônicos, algumas áreas de fábricas e uma grande área de vegetação, formada por um parque, pequenos lagos e fontes.
O quinto nível: é totalmente consagrado à natureza. Há árvores altas, lagos, atmosfera e vários tipos parque. Este é o lugar onde são mantidos todos os animais e muitas plantas que já não existem mais na superfície. Os animais são todos vegetarianos e não comem uns aos outros, vivendo lado a lado em total harmonia, sem medo e sem qualquer agressividade. Telos é realmente o lugar onde o leão eo cordeiro se deitam lado a lado e dormem juntos, com total confiança.

Fonte: http://www.conscendo.org/