Mestre Nada

Sexto Raio: Mestra Nada
Templo: Templo Rubi da Cura
Local: No Plano Etérico sobre a Arábia Saudita
Chama: Rubi
Atributos: Paz, Graça Divina, Sacerdócio, Idealismo, Cura
Músicas-chave: Concerto para Piano (2 extratos) [Grieg]; Meu Herói, “Soldado de Chocolate” (Herbert) e Tema de Lara, “Dr. Zhivago” (Maurice Jarre).
O Sexto Raio representa a devoção abnegada, a cooperação humilde, o serviço prestado, a cura e a paz. O Mestre Jesus foi o Chohan deste raio até pouco tempo atrás, quando foi promovido a Instrutor do Mundo. A mestra Nada é atualmente a Chohan deste Raio. Tendo empregado a Chama Rosa do Amor Divino, ela formou um grande “momentum”. A Mestra Nada é, também, mensageira do Deus Meru, cujo Templo da Iluminação está localizado na América do Sul.
Durante o período de Dispensação Crística, a Mestra Nada, por muitos anos, prestou valiosa assistência; agora, ela derrama seu amor e auxílio através do Sexto Raio.
A Mestra Nada atua também no Terceiro Raio, que junto ao Sexto,contribui, com a ajuda de seus anjos e devotos , para mitigar a tensão mundial e o peso astral da consciência coletiva.
Esta Mestra nos ensina sobre a devoção a DEUS e ao uso da Palavra.
Seu empenho é em iniciar e cuidar da família da era de Aquário.Ela traça seu círculo de amor em torno dos lares e famílias que seguem o caminho espiritual e nas quais os padrões acertados e ações corretas são ensinados às crianças desde cedo.
A Mestra Nada é a advogada da alma perante o tribunal da divina justiça, unificadora de famílias e de Chamas gêmeas; qualificadora do Amor como ministração e serviço a todas as partes da Vida.         
Mestra da ciência da Palavra Falada ,apresenta dons da variedade de línguas e interpretação.
 
SEXTO RAIO
 
Virtudes: Amor ao Próximo, Serviço Abnegado, Idealismo, Compaixão, Devoção e Paz
Palavra Chave: Guerreiro que Marcha
Chacra: Plexo Solar (Estômago)
Som: Pequeno Assovio, Estalos e Sussurros
Perfume: Flor de Laranjeira
Dia da Semana: Sexta-Feira
Regência: Vênus e Marte
Símbolo: Rosa Rubi-Dourada
 
O Sexto Raio representa o dinamismo, coragem, força e deve também ser usado numa situação de emergência.
Os anjos que pertencem ao Templo Rubi, recebem e enviam a essência divina aos suplicantes da Terra, em caráter de emergência. Por isso, recorremos a este Raio e à Mestra Nada nestas situações.
Costuma-se prestar homenagens a esta mestra do Raio Rubi, no início da Primavera, quando a natureza, aparentemente "morta", desperta para a vida.
 
MENSAGEM DA MESTRA
 
"Amados Filhos:
 
Eu, Nada, no poder da Chama Rubi-Dourada da Cura de vossos corpos emocionais e espirituais vos abençôo para que possais reencontrar vossos caminhos na Luz. Deveis render graças à Vida e prestar Devoção à vossa Presença EU SOU, pois somente assim reencontrareis vossas diretrizes na Luz e no Amor. Aqueles que se entregam à Devoção plena, compreendem seus caminhos na Verdade e na Manifestação de um novo Plano de Luz na Terra. Abri vossos corações e expandi vossas bençãos a todos os que vos rodeiam e assim contagiareis o mundo com uma nova tônica, a essência de Luz Quântica que abençoa, cura e provê todos os seres na Luz do Amor Incondicional.
Amor e Luz,
EU SOU Nada em vós"
 
 
 
Mensagem irradiada pela Mestra Lady Nada
http://web.prover.com.br/nominato/7.40.htm
http://www.crisostelar.com/frames/6_Raio.htm
http://members.nbci.com/amaluz/mestresascensionados.html
http://www.ensaio.com/ensaio/esotero/mestres.htm
http://members.nbci.com/amaluz/mestresascensionados.html

MESTRE JESUS  

 

Templo: Templo Dourado da Paz e da Luz Crística
Local: No plano etérico sobre Jerusalém
Hierofante: Mestre Jesus
Chama: Rosa
Atributo: Amor Divino

Música Chave: Jesus, alegria dos homens (Bach)  
 
O Mestre Ascensionado Sananda/Jesus/Cristo foi um dos maiores Curadores Espirituais que andou sobre o planeta Terra. É mais conhecido no planeta como Jesus, mas em outras esferas, como Sananda. A profundidade do AMOR DIVINO que Sananda/Jesus/Cristo trouxe para toda a humanidade da Terra foi exemplificado pelo que ele se dispôs a fazer há 2.000 anos, quando ancorou o Corpo de Luz para a humanidade. A centelha divina de Cristo vive em cada coração. Cristo é um título que significa UM COM DEUS.
Invoco a Luz do Cristo interno,
Sou um canal claro e perfeito,
A Luz é minha Guia.
Inúmeras interpretações foram tecidas em torno da vida e da natureza da Jesus . O Novo Testamento, relato mais difundido de seus atos, foi montado com textos escolhidos em concílios cristãos, sob critérios em geral dogmáticos e unilaterais. Ademais, seu sentido original foi deturpado, voluntária ou involuntariamente, com o decorrer do tempo e das traduções sucessivas.
Relatos semelhantes aos da concepção sobrenatural de Jesus, conforme descrita nos Evangelhos,são encontrados na India, em relação a Krishna e no Egito Antigo, em relação às suas divindades. O mito criado em torno de Jesus serviu de fundamento para uma religião exotérica, que depois se dividiu em várias facções, cada qual detendo perspectivas mais ou menos transcedentais das mensagens que esse ser veiculou. Algo incomum sempre pairou sobre sua natureza. Rudolf Steiner (1861-1925) apresentou obra notável a respeito dos Evangelhos, com base nas informações que colhia nos registros akáshicos. Explicou como, do ponto de vista esotérico, os corpos de Jesus foram formados tanto por substâncias primordiais, equivalentes ao que havia na Terra antes da queda do homem (o que lhe concedeu saúde e pureza inigualáveis), quanto por elementos que, depois de comporem os corpos sutis de um antigo avatar, foram preservados para essa finalidade.. Os corpos de Jesus foram preparados no decorrer de várias encarnações para a tarefa futura que teriam. Na hora do Batismo, no Jordão, foram então cedidos à entidade Cristo, conforme revelou também Alice Bailey em sua transmissão do ensinamento do Mestre Tibetano Djwall Khul. No processo de encarnação de Cristo em Jesus, aplicou-se uma variante da lei da transmutação com características diferentes das de uma simples transmutação monádica. Por isso não se podem estabelecer os limites entre a manifestação de Cristo e a de Jesus a partir do momento em que essa interação se deu. O que se conhece da vida de Jesus dá testemunho do seu ensinamento. A entidade cósmica que se exprimiu por seu intermédio manifesta-se aos homens de acordo com a capacidade de eles acolherem sua energia e de acordo com o seu nível de consciência. Jesus deu-se a conhecer como Cristo ao impulsionar nesta humanidade predominantemente o desenvolvimento da alma. À medida que o contacto do homem com o nível anímico se estabelece, a energia crística aflora de modo mais potente e estimula o seu progresso cósmico: o despertar e o desenvolvimento da mônada. Agindo no plano monádico, essa entidade é denominada Samana.

Jesus não se dirigiu a um determinado povo; sua mensagem é universal, como toda a obra da Hierarquia. Nasceu hebreu, mas seguindo um destino mundial e com implicações em toda a humanidade da superfície da Terra. Paul Brunton (A realidade interna) comenta a origem extraterrestre de Jesus. Segundo Blavatsky, Jesus tinha entre suas funções a de trazer a esta humanidade ensinamentos de origem divina, alicerce de uma nova civilização. Sua palavra a princípio irradiou-se pelo Ocidente. Ele sabia que teria poucos seguidores enquanto estivesse no mundo material e também, qual seria o desfecho de sua encarnação. Não veio para fundar organizações, mas para lançar sementes no íntimo dos seres humanos; como não correspondeu às expectativas dos seus contemporâneos, cristalizados na letra morta das escrituras, foi renegado. Apesar das tendências retrógradas e da falta de compreensão da maioria, sua tarefa foi cumprida, pois a energia crística, o Amor-Sabedoria, ancorou no interior do planeta, possibilitando implantar hoje um novo código genético, mais sutil, na parcela resgatável da humanidade. Essa energia, ademais, permitiu à alma humana polarizar-se no nível intuitivo, podendo desvincular-se da regência de certas leis restritivas, como por exemplo a do carma material. Ressalta-se que as palavras “O Reino de Deus está dentro de vós” são uma síntese de um grande ensinamento, cuja essência só agora começa a ser vislumbrada pela humanidade. É no próprio universo interior que o ser humano encontra as origens da sua existência, as causas do que se passa no mundo tangível e o destino que o aguarda. Com essa premissa, mais facilmente se pode compreender a obra de Jesus e a de outros enviados da Hierarquia, bem como colaborar nela.

http://www.caminhosdeluz.org